Dia da Imprensa: Vamos evoluir?

01/06/2018


No Brasil, o Dia da Imprensa se comemorava, até 1999, no dia 10 de setembro, por ser a data da primeira circulação do jornal Gazeta do Rio de Janeiro, em 1808, periódico da Corte.

Em 1999, a comemoração do Dia da Imprensa mudou de data e passou a ser celebrado no dia 1º de junho porque foi quando começou a circular o jornal Correio Braziliense, fundado por Hipólito José da Costa.

Este periódico iniciou suas publicações em 1808, mas era um jornal clandestino e começou a circular cerca de três meses antes.

Assim, em 1999 foi oficialmente reconhecido esse fato, uma lei definiu a mudança do Dia da Imprensa para 1º de junho.

A imprensa é fundamental na sociedade industrial e da informação. Por isso, preservar a liberdade de expressão é um dever de todas as democracias.

É preciso salientar que quando mencionamos imprensa estamos incluindo jornais, revistas, rádios e televisão.

Esses meios devem pautar o seu trabalho pela ética e pela isenção, sem favorecer nenhum lado em uma reportagem.

O poder de influência da imprensa é tão grande que muitos a chamam de "Quarto Poder", em alusão aos três poderes políticos: Judiciário, Legislativo e Executivo.

Por isso, nas ditaduras, a primeira medida que o governo toma é controlar a imprensa por meio da censura ou do fechamento dos meios de comunicação.

Por outra parte, nas democracias, vive-se muitas vezes a autocensura, e, às vezes, um jornal não publica determinada matéria porque pode prejudicar um grupo econômico ou político que pode se voltar contra o periódico.

Redes Sociais

A comunicação social vem passando por inúmeras mudanças ao longo dos anos. Antes, era exclusivamente informativa e unidirecional, onde havia poucos canais e praticamente nenhuma interação: o público recebia a informação e não gerava feedback, nem tinha espaços onde demonstrar sua satisfação ou insatisfação com determinado assunto.

Passamos por várias tendências e mudanças às quais tivemos (nós, sociedade) que nos adaptar até chegar onde estamos. E hoje, com a evolução da internet e da tecnologia, vivemos em um mundo onde o público que antes somente recebia a informação produz o seu próprio conteúdo. Estamos vivendo na Era das redes sociais digitais.

Com a força que a internet ganhou, a imprensa, nos dias atuais, pode-se dizer, está numa ‘saia justa’. Por mais que os meios tradicionais com os quais estamos acostumados como jornal, rádio e revista, e, logicamente, os seus espaços digitais próprios, não é mais qualquer informação que é digerida facilmente pelo interlocutor.

As redes sociais estão dando um show à parte quando o assunto é divulgar uma notícia. Existe até boicote organizado quando alguém percebe que a informação que está sendo passada pela mídia tradicional não é verdadeira, o que faz com que a imprensa reveja os seus conceitos.

A imprensa tem o dever de mostrar a verdade. Infelizmente, não é bem isso que temos visto, principalmente no Brasil, nos últimos tempo, por parte das mídias tradicionais.

Portanto, está na hora dos conceitos de comunicação sejam revistos. Hoje ninguém é mais bobo ou alienado. A verdade tem de prevalecer sempre. O momento é de evolução.

Leia também "Como as fake news influenciam as pessoas".

 

 

Fonte: Redação.

TAGs: Articulista – Editor Artigo|Opinião|Ensaio Brasil Comunicação Cultura Internet Jornal Portal Rádio TV Aberta