O complexo universo dos shopping centers

09/03/2018


Quem costuma frequentar um shopping center, seja para fazer compras, ir ao cinema, passear ou utilizar algum serviço, não tem ideia da complexa estrutura existente por trás de vitrinas atrativas, corredores limpos e ambiente agradavelmente refrigerado.

Manter esse microcosmo — que recebe diariamente um público superior aos habitantes de muitas cidades — em perfeito funcionamento, administrando-o de forma eficiente, é um desafio que pode ser comparado a montagem de uma peça de teatro, tantos são os personagens envolvidos e tamanha a sintonia necessária para que nenhuma cena saia errado.

Por isso, os shoppings, símbolos do varejo moderno em todo o mundo, demandam uma estrutura profissional de gestão capaz de criar, planejar, executar e promover o total envolvimento da equipe operacional, para que cada ação promocional contribua nos resultados de vendas das datas importantes para o varejo.

Mais do que isso, conseguir que o shopping mantenha diariamente seu encanto, sua capacidade de materializar cada desejo de cada cliente e continuar fazendo com que cada cliente sinta que o shopping é o seu lugar.

Dentro de um shopping center, existem vários atores e atrizes, com igual importância para possibilitar o início do espetáculo. Lição que aprendi, ao longo de minha experiência atuando diretamente no mercado.

Não se começa um grande espetáculo apenas com um protagonista 100% preparado, e o resto do elenco sem ter treinado e revisado o texto entre eles. É melhor que tudo funcione em 70 %, porém em harmonia e sintonia, do que ocorrer descompassos. Este paralelo, de que quando se abre as portas do shopping, começa o espetáculo, é, de fato, uma realidade.

Para este público heterogêneo - clientes, funcionários, prestadores de serviço, lojistas - com objetivos e interesses distintos, todos com idades, desejos e expectativas a serem atingidas, o shopping é um local onde se vivenciam emoções e experiências agradáveis com segurança.

Para garantir esse clima, tem-se procurado criar um ambiente alegre, divertido e saudável para que os clientes façam suas compras de forma tranquila. É aí que os vários atores entram em cena, cada um dedicado a desempenhar com eficiência o seu papel.

Aos lojistas, cabe oferecer ao cliente não só produtos e serviços de qualidade, mas, principalmente, um atendimento tão próximo e tão amigável que o cliente se sinta completamente encantado e que essa magia se transforme em fidelidade de marca.

E ao consumidor e sua família, que estão aproveitando as divertidas promoções, nem podem imaginar a antecedência que o planejamento de um simples evento sazonal demanda e a sinergia de atuação que as equipes dos departamentos do shopping precisam ter, por exemplo, para a Páscoa que se aproxima e que certamente será uma época de ótimas vendas e de fidelização.

Todas as equipes precisam trabalhar integradas e prontas para fazer de cada evento um sucesso absoluto. Só para citar um exemplo, a área de operações tem o compromisso de verificar permanentemente  a temperatura das lojas e dos respectivos estoques na central de ar-condicionado, para garantir a qualidade de armazenamento dos produtos.

Sem dúvida, todo esforço é focado para proporcionar momentos de experiências únicas, entretenimento, interação , relacionamento e impulsionar vendas, nas lojas, nas praças de alimentação, no setor de entretenimento e serviços.

Ações paralelas a eventos indoor visam incrementar resultados. As mídias digitais, Facebook e Instagram, dos empreendimentos, vêm divulgando produtos dos lojistas alusivos à Páscoa.

O YouTube ainda é um canal pouco explorado, mas os shopping centers já estão acionando seus radares para essa nova tendência – Talkability - palavra da moda para desenvolver conteúdos que possam ser comentados e compartilhados entre as pessoas, gerando popularidade rapidamente pela internet.

Mas aqui vale uma ressalva, as pessoas só irão se identificar com marcas modernas e que acima de tudo estejam conectadas com os valores desse público.

As pautas devem refletir o dia a dia das pessoas e esta interação marca/consumidor precisa ser honesta e transparente.

E aí, preparados para conhecer as novas ferramentas ?